shutterstock_413833702.jpg

RESULTADOS

DADOS ADICIONAIS

Os resultados obtidos foram divulgados, sempre que necessário ao Serviço de Avisos Agrícolas do Entre-Douro-e-Minho, possibilitando a calendarização dos tratamentos obrigatórios contra o S. Titanus com recurso a dados fiáveis. Em 2019, Scaphoideus titanus Ball e Dictyophara sp. estavam presentes nas bordaduras de cinco parcelas de vinha. Nas armadilhas colocadas, outras das espécies capturadas foram: Dictyophara sp., Philaenus sp., Neophilaenus sp., Cercopis sp. e Cicadella sp.

 

É importar notar que foi observada em abundância a presença de cicadelídeos Macropsis sp, em todas as parcelas, sendo necessário proceder a mais estudos para detetar algum tipo de correlação. Outras espécies de vetores putativos estão a ser avaliados.

ATENÇÃO: É necessário despistar através de análises laboratoriais a presença da Flavescência Dourada, uma vez que os sintomas se podem confundir com outras doenças como a do vírus do enrolamento (GLRV3).

NºAMOSTRA

GLRV3 NEG

FD POSITIVO

WRGWEGEGFEGE.png

Resultados obtidos pelo INIAV na sequência das amostras enviadas pela AVITILIMA

Como referido anteriormente, estas amostras foram colhidas de material vegetal com sintomas aparentes de FD. A maioria das amostras confirmou o diagnóstico de Flavescência Dourada, com exceção da amostra SB 22, que exclui a presença de vírus do enrolamento e da FD. Para essa amostra, talvez seja necessário proceder a mais análises para concluir sobre qual o problema fitossanitário presente. É possível também observar que a amostra SB 4, embora positiva em relação à FD, não foi conclusiva em relação ao GLRV3.

 

Também foram realizadas “batidas” na vinha e hospedeiros alternativos, um método que se revelou pouco eficaz, sendo substituído pelo método de captura por aspiração em 2019. Devido a constrangimentos na conceção do “aspirador”, apenas foi realizada uma aspiração nos vários locais de estudo. Ambos os métodos se revelarem sem sucesso na captura do principal inseto vetor desta doença.