. FASES DE PROGRAMAÇÃO .

Este projeto será desenvolvido por Atividades de Funcionamento do Grupo Operacional, dois Projetos de Demonstração/Desenvolvimento e por Ações de Demonstração e Divulgação.

Pretende-se executar as seguintes atividades em cada um dos projetos complementares propostos:

  • PROJETO 1 - Papel dos hospedeiros alternativos na dispersão da doença da Flavescência Dourada

    • 1.1 – Caracterização das parcelas de vinha e envolventes (hospedeiros alternativos) através de sistemas de imagem remota

    • 1.2 – Identificação e localização dos hospedeiros alternativos no campo

    • 1.3 – Avaliação do grau de infestação (insetos) e deteção da FD nos vetores e nas plantas

      • 1.3.1. Instalação de armadilhas amarelas e protótipos ‘armadilhas inteligentes’ em parcelas piloto para identificação do ST e sua manutenção​

      • 1.3.2. Monitorização e captura de insetos vetores (armadilhas cromotrópicas e ‘batidas’)

      • 1.3.3. Monitorização remota do ST através de captura de imagem com capacidade de transmissão sem fios para envio periódico de imagens

      • 1.3.4. Identificação dos insetos capturados em laboratório e identificação do ST através de imagem remota

      • 1.3.5. Deteção laboratorial da FD nos insetos vetores identificados

      • 1.3.6. Registo de sintomas e colheita de amostras vegetais (hospedeiros alternativos e videira)

      • 1.3.7. Deteção laboratorial da FD nos hospedeiros alternativos e na bordadura das parcelas de vinha

      • 1.3.8. Avaliação da incidência da FD nas parcelas de vinha (sintomas e confirmação laboratorial)

      • 1.3.9. Definição de critérios e avaliação do impacte económico das medidas a propor no controlo da FD nas Sub-Regiões vitivinícolas do Cávado, do Lima e de Basto

    • 1.4 – Integração dos resultados

    • 1.5 Elaboração de relatórios

  • PROJETO 2 - Avaliação da interação porta-enxerto/cultivar no grau de sensibilidade à FD

    • 2.1 – Prospeção de videiras a usar como fonte de inóculo (FD)

    • 2.2 – Seleção e aquisição dos materiais de propagação vegetativa

    • 2.3 – Condução de enxertias

    • 2.4 – Envasamento e instalação do ensaio em estrutura confinada (rede anti-inseto)

    • 2.5 – Instalação de armadilhas cromotrópicas e protótipos de ‘armadilhas inteligentes’ em estufa e ar livre

    • 2.6 – Monitorização remota do ST através de captura de imagem com capacidade de transmissão sem fios para envio periódico de imagens

    • 2.7 – Inoculalação das cultivares com FD

    • 2.8 – Avaliação do comportamento de cada uma das combinações PE/cultivar (sintomas e análises laboratoriais)

    • 2.9 – Avaliação do benefício económico expectável do comportamento de cada uma das combinações PE/cultivar nas Sub-Regiões vitivinícolas em estudo

    • 2.10 – Integração dos resultados

    • 2.11 – Elaboração de relatórios

. CONTACTOS .

LÍDER DO CONSÓRCIO: INIAV

Avenida da República, Quinta do Marquês

2780-157 Oeiras

Para mais informações: www.iniav.pt

Projeto cofinanciado por:

Logotipos_Barra_PDR_PT2020_FEADER.png