shutterstock_413833702.jpg

RESULTADOS

IMPORTÂNCIA DA MONITORIZAÇÃO

Como já foi referido, a doença da Flavescência Dourada exige vários tratamentos para garantir o controlo do vetor. Estes tratamentos têm algum impacto nos custos de uma exploração, reduzindo o rendimento dos viticultores.

 

No entanto, apesar dos tratamentos nas parcelas de videiras, foi confirmada a presença de S. titanus nos limites das vinhas (bordaduras). Embora não aparente ter relevância a presença deste vetor no interior das parcelas, os dados (gráfico 1 e 2) indicam que a eliminação dos tratamentos poderá levar à reemergência da doença nessas vinhas de uma forma perigosa. Deste modo, a redução dos tratamentos deve ser acompanhada pela intensificação da monitorização, permitindo o aumento do rendimento dos viticultores não apenas dela diminuição do uso de pesticidas, mas também pela diminuição do risco da emergência da doença.

Gráfico 1: Capturas identificadas pela AVITILIMA por Exploração

Gráfico 2: Capturas anuais identificadas pela AVITILIMA

No material vegetal recolhido também foi identificado a presença do grupo de fitoplasmas 16Sr(V), no qual está enquadrada a Flavescência Dourada (Quadro 1). Também foram identificados fitoplasma de Alder yellow (AldYp) em folhas e flores de Alder (Alnus glutinosa) e em folhas e flores de amieiro (Alnus glutinosa) em duas vinhas. A Primavera parece ser o melhor período para detectar o grupo16Sr (V) em Alnus glutinosa. Já para Ailhantus althissimus é Outubro (a caracterização molecular encontra-se em curso).

PLANTAS

NºAMOSTRAS

RESULTADOS 

POSITIVOS (16SR(V)

Quadro 1: Resultados para a análise de Fitoplasmas do grupo 16Sr(V) nas várias espécies presentes na bordadura das vinhas

. CONTACTOS .

LÍDER DO CONSÓRCIO: INIAV

Avenida da República, Quinta do Marquês

2780-157 Oeiras

Para mais informações: www.iniav.pt

Projeto cofinanciado por:

Logotipos_Barra_PDR_PT2020_FEADER.png